Composta por várias empreitadas, a grande intervenção na zona da Praça de Espanha, para reformulação da Rede Viária e construção do Novo Parque Urbano é sem dúvida uma obra de grande relevo para a cidade de Lisboa, devolvendo este espaço à população.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
1/1

TRANSPLANTES DE ARVOREDO (concluídos)

Esta empreitada preparatória decorreu na Primavera de 2019, para que fosse possível a execução do novo traçado da rede viária da Praça de Espanha e do futuro Parque Urbano. Naquela que foi a maior operação de transplantes alguma vez executada na cidade de Lisboa, e que representou um investimento de 155.000€ foram transplantados com enorme sucesso vários exemplares de árvores e arbustos, para a zona do futuro parque urbano e para a zona envolvente à Praça de Espanha.

REDE VIÁRIA (concluída)

A intervenção na rede viária envolvente à Praça de Espanha, veio transformar profundamente o acesso a esta zona da cidade, criando dois cruzamentos que simplificaram os principais movimentos viários, tornando-os mais rápidos e seguros. Numa área de intervenção de cerca de 58 mil m2, melhorou-se a segurança dos peões, com passeios e passadeiras mais largos e confortáveis, criou-se uma rede ciclável, duas estações de bikesharing com 30 docas, e melhorou-se a distribuição das vias, agora com uma largura que varia entre os 3 metros e os 3,25 m (para as vias BUS, vias mais à direita e vias de viragem).

PARQUE GONÇALO RIBEIRO TELLES

Com 6 hectares – uma área superior ao Jardim da Estrela –, o novo Parque Urbano da Praça de Espanha tem espaços relvados, parques infantis, desportivos e um dog park, um aumento de 300% no número de árvores e arbustos, e já é uma importante zona verde e de lazer para as famílias. 

A Câmara Municipal de Lisboa, em reconhecimento pelo enorme contributo do Arquiteto Paisagista Gonçalo Ribeiro Telles (1922-2020) para a qualidade de vida dos lisboetas, deliberou homenageá-lo dando o seu nome a este parque, que fica fisicamente ligado a uma das suas maiores intervenções e integrado numa das suas ideias mais importantes. Em harmonia com o Jardim Gulbenkian e o Corredor Verde de Monsanto, o parque recupera a ligação pedonal entre a Gulbenkian e Sete Rios.

Lisboa ganha aqui um ecossistema mais vivo, que melhora a qualidade do ar, diminui a temperatura ambiente da zona e evita as cheias que assolam esta parte da cidade, preparando-a para as alterações climáticas. O Parque está aberto à população desde o dia 1 de junho de 2021, estando a ser ultimada a construção da cafetaria central.